Países palco do drama da migração nas Américas têm as cidades mais perigosas

Entre os dez municípios mais violentos do mundo, nove estão na América Latina e no Caribe

Por Heloísa Traiano

Publicado no Globo

Os países de onde vêm os maiores fluxos migratórios nas Américas reúnem as quatro cidades que, segundo estudo do Instituto Igarapé e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), são as mais violentas do mundo. O relatório mostra que Caracas, capital da Venezuela; San Pedro Sula, em Honduras; San Salvador, capital de El Salvador; e Acapulco, no México, têm taxas de homicídio de dez a 20 vezes superiores à média mundial, com mais de cem assassinatos para cada cem mil habitantes.

Estas cidades, no epicentro das crises migratórias atuais do continente, há anos persistem no indesejado topo do ranking, em decorrência de histórias próprias que combinam o uso da violência pelo Estado, altos níveis de desigualdade social e o fortalecimento de organizações criminosas dentro de economias movidas a extorsão e atividades ilícitas.

Dentre as dez cidades mais violentas do mundo, nove estão na América Latina e no Caribe, que são, de acordo com o documento, a região mais violenta. Nenhuma delas está no Brasil. Os países da região somam 39% dos homicídios globais, e sua taxa regional de roubos é o triplo da média mundial. Além disso, é a única região do mundo onde a principal causa externa de morte são homicídios. Os assassinatos correspondem a 52% dos falecimentos não naturais da região.

Leia matéria completa