Etiqueta: segurança cidadã

Tell us where it hurts: Collective action to fight violence

Violence has always been one of humanity’s most serious global challenges. Hundreds of millions of men, women, and children have been killed or maimed by armed conflict, crime, extremism, and sexual and gender-based violence. Not only does violence exact a massive social and economic toll, it depreciates human capital and undermines important civic and social institutions.

Se insistirmos em uma única via, falharemos

RIO — A Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro poderá votar nesta semana a autorização para que a Guarda Municipal passe a portar armas de fogo. Até o momento, a Lei Orgânica da cidade do Rio de Janeiro proíbe essa possibilidade.

‘Para enfrentar a violência é preciso conhecer os seus padrões’

Michele dos Ramos, assessora especial do Instituto Igarapé, fala sobre a importância da produção e análise de dados para a área de segurança pública. ‘Olhar para esses dados nos permite entender se as nossas decisões estão no caminho certo ou se é preciso ajustar a rota’.

Artigo: Gênero e raça vulneráveis à violência

Apenas cinco dias separam a celebração do Dia da Consciência Negra no Brasil, 20 de novembro, do Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher, instituído pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas no dia 25 do mesmo mês.

‘CPI do feminicídio é uma conquista importante para o Rio’

Michele Ramos analisou a tramitação da CPI contra o feminicídio na Alerj. A comentarista relatou que 71 mulheres foram mortas e 288 sofreram tentativa de feminicídio no estado do Rio em 2018. ‘Também existe um componente racial nesses crimes, já que 70% dos casos de feminicídio são contra mulheres pretas e pardas’, enfatiza Michele Ramos.

‘A violência nos estádios impacta de maneira significativa a segurança pública’

Melina Risso, do Instituto Igarapé, fala sobre segurança nos estádios, com base na operação policial que prendeu um grupo que pretendia invadir o Maracanã durante o segundo jogo da semifinal entre Flamengo e Grêmio, pela Libertadores. ‘Infelizmente a gente vê a violência associada a esse esporte. Isso impacta de maneira significativa como a gente se diverte’.

Insegurança privada

De autoria do Executivo Federal, o projeto de lei 3.723/2019, em votação no Congresso, é prova cabal de que o governo escolheu concentrar a sua agenda na insegurança pública. O PL destrói o sistema de controle de armas do país e pode beneficiar o desvio para o crime e a formação de milícias armadas.

Por mais vidas, menos irresponsabilidade

Não chegamos ao final do primeiro ano do mandato do atual governo e já contamos oito decretos presidenciais sobre armas e munições. Contra os retrocessos dessas medidas, 14 governadores e 12 ex-ministros da Justiça se manifestaram publicamente.

‘A gente não pode reduzir política de segurança pública a uma lógica de olho por olho dente por dente’

Michele dos Ramos, assessora especial do Igarapé, sugere a leitura do livro ‘Armas para quê?’, do sociólogo Antônio Rangel. ‘O livro traz detalhes sobre os impactos da arma de fogo na violência contra a mulher e na vitimização dos jovens’. Ela reforça a necessidade de pressionar os representantes para evitar que as decisões do Congresso agravem a violência no país’.

‘Segurança pública também é uma agenda de proteção de direitos’

Michele dos Ramos, assessora especial do Igarapé, a campanha ‘Sócios da Liberdade’, lançada pelo instituto. A ideia é mostrar para os empresários como eles podem criar novas possibilidades de trajetórias para mulheres e presas egressas do sistema prisional, que é o público alvo da campanha.

‘O indulto não é um cheque em branco ou um vale-impunidade’

Michele dos Ramos comenta a intenção do presidente Jair Bolsonaro de conceder indulto a policiais que atuaram no massacre do Carandiru e de Eldorado de Carajás. Ela explica as categorias de indulto e que ele é uma ferramenta que não pode ser concedida a certos típicos de crimes.

Palavras ao vento

A crise no sistema penitenciário ilustra o ponto, sendo o massacre em quatro presídios de Manaus, com 55 detentos mortos no final de maio, mais um episódio da barbárie anunciada.

Opinion: Brazil’s Prison Massacres Send A Dire Message

De Robert Muggah Publicado no NPR Once again, Brazil’s hellish prisons are making global headlines. The spotlight this week is on Manaus, the capital of the country’s northern Amazonas state, where violence at different prisons left 55 inmates dead. On Sunday, the mutilated bodies of 15

#23 – ‘Que Brasil É Esse?’, com Ilona Szabó

A cientista política especialista em segurança pública, diretora-executiva do Instituto Igarapé, conversa com a equipe do programa sobre armamento da população e outras discussões – ou polêmicas – do Brasil atual.

Populismo penal en América Latina (español)

El objetivo de este estudio es brindar una revisión basada en datos del crecimiento, las tendencias, y la razón principal detrás de la rápida expansión de la población carcelaria en la región durante lo corrido de este siglo, esto es, populismo penal

Populismo penal na América Latina (português)

O objetivo deste estudo é utilizar os dados disponíveis para fazer uma avaliação do crescimento, das tendências e da principal causa da rápida expansão da população carcerária na América Latina ao longo do século XXI: o populismo penal

O Instituto Igarapé utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.

Skip to content