Se insistirmos em uma única via, falharemos

Por Melina Risso

Publicado no O Globo

RIO — A Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro poderá votar nesta semana a autorização para que a Guarda Municipal passe a portar armas de fogo. Até o momento, a Lei Orgânica da cidade do Rio de Janeiro proíbe essa possibilidade.

Há duas dimensões importantes dessa discussão que precisam ser analisadas pelos cariocas e seus representantes municipais. A primeira delas, obviamente, se refere a todas as preocupações que devem acompanhar o debate sobre o armamento de uma categoria. Armar a Guarda trará mais segurança? Os profissionais estão capacitados? Será que não estamos aumentando o risco e a vulnerabilidade deles? O município está preparado para que esses novos estoques de armas e munições não sejam desviados para a criminalidade?