Redes de atenção às pessoas egressas do sistema prisional: mapeando atores-chave e suas demandas

O presente documento tem como objetivo apresentar um mapeamento de atores-chave que atuam em redes de atenção às pessoas egressas do sistema prisional e os seus principais desafios, no âmbito do projeto “Quebrando ciclos de violência”, desenvolvido pelo Instituto Igarapé. Tais redes vêm sendo fortalecidas e expandidas nos últimos anos, na esteira da criação da Política de Atenção a Pessoas Egressas do Sistema Prisional no âmbito do Poder Judiciário, em dezembro de 2019.

A primeira Rede de Atenção às Pessoas Egressas do Sistema Prisional foi criada no Rio de Janeiro, há 15 anos. Em 2019, uma das fundadoras da Raesp-RJ e posteriormente membro da equipe do programa Fazendo Justiça, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), replicou a experiência do Rio de Janeiro no Tocantins.

Em consonância com este relatório, o Igarapé publicou outro em que sistematiza as conclusões obtidas com as lições e desafios enfrentados pela Raesp-RJ.

Leia a publicação Leia a publicação com lições aprendidas

O Instituto Igarapé utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.