Revogação de portarias fragiliza controle do Estado sobre armas de fogo, afirmam especialistas críticos à flexibilização

Publicado em Gaúcha Zero Hora

Com Melina Risso

Anunciada nas redes sociais, a decisão do presidente Jair Bolsonaro de anular normas que reforçavam o rastreamento, a identificação e a marcação de armas, projéteis e outros produtos controlados surpreendeu especialistas críticos à flexibilização.

Em 17 de abril, dirigindo-se a atiradores e colecionadores no Twitter, Bolsonaro informou que revogaria as portarias nº 46, 60 e 61, publicadas em março pelo Comando Logístico do Exército (Colog), por não se adequarem às suas diretrizes.

A portaria nº 46 havia criado o Sistema Nacional de Rastreamento de Produtos Controlados pelo Exército (SisNar). A nº 60 tornava mais rigorosa a marcação e identificação de armas e a nº 61 ampliava a fiscalização sobre embalagens e cartuchos de munição.

Leia mais