Quem são os jovens que o Brasil abandonou

Publicado em Revista Claudia

Por Robbert Muggah

A ideia de que o Brasil seria o país do futuro já habitou o imaginário de estudiosos daqui e do restante do mundo. Ainda na década de 1940, ficou famoso um livro com a aposta já no título, escrito pelo austríaco Stefan Zweig. A análise não era completamente infundada. As projeções populacionais, mesmo alguns anos depois da teoria do autor, estimulavam esse otimismo. Devia-se ao fato de que, diferentemente das grandes potências mundiais, ainda estaríamos por vivenciar nossa onda jovem, quando o número de pessoas entre 15 e 29 anos atingiria o ápice. Essa época tão aguardada chegou… E está passando. Em 2018, os jovens eram cerca de 20% da população, e os números tendem a cair daqui em diante sem que o Brasil tenha apostado nessa força produtiva.

Leia mais