Por que cidades como Manaus ficam reféns de ataques ordenados de prisões

Publicado na Deutsche Welle

Com Melina Risso

Da noite de sábado (05/06) à manhã de segunda-feira, Manaus e outras seis cidades do estado do Amazonas enfrentaram uma onda de ataques promovidos por criminosos sob o comando de líderes presos, que afetaram o cotidiano de milhares de pessoas, com suspensão do transporte coletivo, do atendimento do governo à população e da vacinação contra a covid-19.

“As grandes facções criminosas brasileiras são de base prisional, nasceram nos presídios e sua força vem daí. Muitas exercem grande controle dos presídios e recrutam seus membros nas cadeias. Quando essas pessoas saem, continuam vinculadas a essas facções”, afirma Melina Risso, diretora de programas do Instituto Igarapé.

Leia mais