O reconhecimento como um estímulo a boas práticas: uma agenda de valorização policial

 

A profissão policial apresenta uma série de desafios que tornam sua atuação especialmente difícil. No campo da segurança pública, espera-se que os profissionais realizem serviços complexos e que envolvem recorrentemente interações com pessoas. Ainda que novas ondas de tecnologia cheguem de forma crescente à área, o trabalho dos policiais ainda será, por muito tempo, um serviço que demanda relações diretas e presenciais entre indivíduos.

Apesar dos profissionais da segurança pública serem conhecidos pelo trabalho vinculado ao uso da força, na maior parte do tempo, o policial não precisa fazer uso dela. No dia a dia, as habilidades mais usadas são a disposição para ouvir atenta e pacientemente as pessoas, a capacidade de acalmar uma situação em que os ânimos estão acalorados e a mediar conflitos.

Sabemos que o policial está no centro de uma política de segurança pública bem sucedida e por isso, além de rigorosamente selecionados, eles precisam ser bem preparados e ter condições de trabalho adequadas. Além da formação, o comportamento do policial também é influenciado pelos incentivos que as instituições dão aos seus profissionais. Por isso, compreender e discutir o que é valorizado e reconhecido pelas polícias é tão fundamental para o resultado do trabalho policial.

A agenda aqui apresentada não pretende ser exaustiva, mas colocar luz em aspectos que precisam estar no foco das instituições de segurança pública, além de fazer parte das discussões de outros setores da sociedade que pretendem melhorar os serviços públicos no Brasil. Apontar esses caminhos pelo foco positivo, isto é, incentivando determinados comportamentos em vez de puramente punir aqueles indesejáveis, é a estratégia adotada por esta agenda.

A publicação “O reconhecimento como um estímulo a boas práticas: uma agenda de valorização policial” foi elaborada com o objetivo de destacar a importância de se discutir amplamente a gestão de pessoas e a valorização dos profissionais dentro do campo da segurança pública, ampliando seu foco para além do reconhecimento dos atos de bravura. Por isso, convidamos os gestores da segurança pública estadual para mergulharem nessa temática e refletirem sobre o que está sendo implementado e o que pode ser ampliado.

Trabalhar nessa área traz uma série de desafios aos servidores que não se resolve apenas com coragem. Todos precisamos estar atentos a isso – instituições, profissionais e sociedade. Conhecer as práticas ajuda a entender de que forma o público em geral pode estimular policiais a se protegerem e a protegerem toda a sociedade.

 

Leia a publicação

 

Assista à reportagem do Fantástico