O isolamento precisa continuar. A violência doméstica não.

Publicado em Congresso em Foco

O aumento dos índices de violência doméstica durante a quarentena é uma realidade no mundo. O isolamento social, necessário para lutarmos contra o covid-19, tem revelado um aumento dos casos ao mesmo tempo que tem mostrado a diminuição das denúncias. Como a vítima está em quarentena com o seu agressor, a dificuldade de conseguir sair de casa para pedir ajuda ou o medo de denunciar são algumas das causas desses fenômenos.

Antes da pandemia, os números já eram alarmantes: segundo pesquisa sobre vitimização de mulheres no Brasil do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, no ano passado o lugar mais inseguro para as mulheres era a própria casa, dado reforçado pela ONU Mulheres. A violência doméstica figurava como a que mais afetava as mulheres do Brasil: 42% das mulheres relataram ter sofrido violência dentro de casa, 29% na rua e 8% no trabalho.

Leia mais