O alto custo da obsessão governamental

Por Melina Risso

Publicado em Folha de S. Paulo

Está difícil encontrar os adjetivos mais adequados para descrever as medidas do governo federal em matérias afeitas à segurança pública. Recentemente, mais um projeto de lei sobre legítima defesa foi enviado ao Congresso Nacional — como se não bastassem as portarias do Comando Logístico do Exército, publicadas anteriormente, que regulamentam diversas mudanças sobre posse e aquisição de armas e munições e promovem uma verdadeira liberação de armas para os CACs (Colecionadores, Atiradores e Caçadores).

Essas duas obsessões — liberação das armas e absolvição indiscriminada de agentes de segurança pública que matam— demonstram a visão de mundo que orienta o projeto do governo: todos os privilégios para os “amigos do rei”, isto é, para aqueles que demonstram lealdade ao governo e uma visão distorcida sobre as medidas mais eficazes para assegurar menos mortes, menos violência, mais segurança e paz.

Leia mais