Lições do vizinho do norte

Publicado na Folha de S.Paulo

Por Ilona Szabó

O presidente Jair Bolsonaro e seu núcleo ideológico não são tão fãs dos Estados Unidos, mas do seu descreditado ex-presidente, Donald Trump, e das ideias da extrema direita que o levaram ao poder. Sua adoração explícita limita-se a uma ala conspiratória e populista da política americana. Encontrarão pouco em comum com o presidente Joe Biden, eleito com 84 milhões de votos —mais do que qualquer outro na história—, e sua posição liberal e moderada que valoriza a igualdade, a justiça social, e o papel do Estado na obtenção desses objetivos.

A defesa da democracia e a união de uma sociedade polarizada voltam a ser eixo central do mandato do novo presidente, que se afasta por completo da cartilha populista e reacionária de Trump, a qual Jair Bolsonaro ainda segue à risca. E mesmo ainda estando o Brasil sob o jugo de um governo perigoso, ao olharmos hoje para os Estados Unidos, talvez possamos considerar algumas das prioridades do novo governo.

Leia mais