Assessing the effectiveness of the United Nations Mission in the DRC / MONUC – MONUSCO

O envolvimento das Nações Unidas na manutenção da paz na República Democrática do Congo desde o final da Segunda Guerra do Congo durou quase 20 anos, três eleições presidenciais, oito Representantes Especiais do Secretário-Geral da ONU e numerosas crises políticas e de segurança envolvendo atores nacionais, regionais e grupos armados. A Missão se reinventou várias vezes, tentou se adaptar às mudanças na dinâmica dos conflitos e teve que mudar de postura devido às exigências do Conselho de Segurança, do governo congolês e das autoridades regionais, bem como em resposta aos recentes cortes no financiamento.

Através deste relatório, em nome da Effectiveness of Peace Operations Network (EPON), os autores identificaram quatro fases distintas: (1) o desenvolvimento na crise e o crescimento progressivo da Missão; (2) o apoio ao governo de transição e à organização de eleições gerais em 2006; (3) a fase pós-transição que levou ao estabelecimento de uma missão de estabilização; e (4) a criação da FIB para combater o M23, outros grupos armados e convocar novas eleições presidenciais, quando o segundo e último mandato do Presidente Kabila foi concluído. Podemos até considerar que 2019 marca o começo de um quinto e talvez último estágio para a Missão, pois está incumbido com o novo desafio de apoiar uma presidência tshisekedi com legitimidade contestada e controle limitado sobre as principais instituições de poder, protegendo uma população civil ansiosa e desconfiada, e planejando para a sua eventual saída.

Ao adotar a metodologia da EPON, o relatório avaliou a eficácia dos esforços de manutenção da paz da ONU na RDC em oito dimensões críticas. Também foram identificadas estratégias significativas, impactos operacionais e três limitações que prejudicaram os esforços da ONU.

Com co-autoria da Coordenadora da Divisão de Paz e Segurança do Instituto Igarapé, Adriana Abdenur.

Leia mais