Black Bloc Rising: Social Networks in Brazil

 

Outubro, 2013

 

Instituto Igarapé e SecDev Foundation

O Brasil foi afetado por grandes manifestações de rua entre junho e agosto deste ano organizadas dentro das redes sociais e que se estenderam para setembro e outubro. Embora as manifestações fossem pacíficas na sua maior parte, um grupo de militantes anarquistas que se destacou durante este período – os black blocs – chamou a atenção do público. Apesar de ser motivo de preocupação da mídia e de políticos, se sabe relativamente pouco sobre quem são, de onde vêm ou como este grupo funciona.

A mais recente publicação da Open Empowerment Initiative – um projeto do Instituto Igarapé e da Fundação SecDev – analisa a presença dos black blocs no ciberespaço. Eles têm como foco especificamente o Facebook, a mais popular plataforma de mídia social utilizada por oito em cada 10 internautas brasileiros. O relatório surge num momento crítico uma vez que os black blocs continuam a desempenhar um papel importante nas manifestações em curso no Rio de Janeiro e em São Paulo.

O artigo conclui que os black blocs são um fenômeno novo no Brasil, tendo aparecido apenas duas semanas antes dos protestos. Além disso, sua atuação é altamente concentrada – mais especificamente em algumas áreas do Rio de Janeiro e de São Paulo -, o que pode estar gerando reflexos em outros lugares. Também parece haver uma relação entre a violência policial e a explosão das ações dos black blocs.

VER PDF