Sócios da liberdade

Logo-banner-coluna-folha-fsp

Por Ilona Szabó

Publicado na Folha de S.Paulo

Não há como acreditar que, no estado degradante em que se encontram, as prisões brasileiras cumpram seu papel de recuperação e preparação para inserção social.

Todos os anos centenas de milhares de pessoas saem das prisões brasileiras. Apesar das falhas nas estatísticas oficiais, sabe-se que apenas no primeiro semestre de 2021 foram emitidos 185.689 alvarás de soltura no Brasil.

Muito pouco se sabe sobre essas pessoas, sobre as motivações dos crimes violentos, ou sobre seu caminho após a prisão. Mas o perfil demográfico de quem está preso é conhecido: são homens (96%) negros (66,7%) e jovens (43% têm entre 18 e 29 anos). Sabe-se também por que foram presas: cerca de 40% dos crimes são contra o patrimônio, e 30% são relacionados às drogas.

Leia o artigo

O Instituto Igarapé utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.

Skip to content