Redes sociais não são opinião pública

Por Ronaldo Lemos

Publicado na Folha de S. Paulo

As redes sociais se tornaram um fator determinante para a tomada de decisão por parte do governo, como mostra uma série de episódios recentes.

Um exemplo foi a queda vertiginosa do ministro Gustavo Bebianno, acossado por uma forte campanha online.

Mais recentemente, o revés do ministro Sergio Moro ao afastar a cientista política Ilona Szabó do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária —depois de tê-la pessoalmente nomeado— atribuindo a decisão à “repercussão negativa entre certos segmentos”.

Leia a matéria completa