‘Reage, Rio!’ já tem resultados para propostas feitas na primeira edição

O Globo

Dezembro, 2017

RIO – Nesta segunda edição do seminário “Reage, Rio!”, no Museu do Amanhã, foram apresentados bons resultados de iniciativas sobre temas abordados nas 50 propostas debatidas no seminário anterior, realizado em agosto. Dentre elas, a editora-executiva do GLOBO, Maria Fernanda Delmas, destacou o funcionamento da ferramenta de georreferenciamento ISP Geo, implementada neste ano e que analisa as melhores soluções para conter crimes por cada região da capital fluminense, levando em conta a incidência de cada crime e que tipo de ação de segurança é mais adequada.

— A ideia é que ela otimize os recursos da segurança pública e mostre como a tecnologia é importante para a gente enfrentar esse problema — afirmou a editora-executiva durante o seminário.

A segurança foi o tema que mais mobilizou debates na primeira edição do evento, como destacou a editora-executiva. Segundo ela, porque mexe com o cotidiano dos cidadãos.

— Segurança preocupa a todos, pais, mães, filhos — destacou Maria Fernanda Delmas.

O “Reage, Rio!” é uma realização dos jornais O GLOBO e “Extra”, com oferecimento do Sistema Fecomércio RJ por meio do Sesc RJ, patrocínio da Oi e apoio do shopping Rio Sul.

PROGRAMA ‘RIO CRIATIVO’

Maria Fernanda mostrou também que o Rio Criativo, um programa que busca ressaltar as outras vantagens econômicas do Estado para além do petróleo, uma indústria fundamental para a economia fluminense. Já ocorreu a primeira caravana a Paraty para destacar o turismo daquela região e está em preparação uma nova caravana a Duque de Caxias e Vassouras.

Outra iniciativa destacada e que está em plena formulação é o novo e amplo calendário de turismo, o “Rio de Janeiro a Janeiro”, que tem por objetivo trazer turistas para a cidade em todos os meses do ano, e não apenas na alta temporada do verão ou durante o Carnaval.

— Esse calendário já tem 100 eventos inscritos, que podem ser desde pequenas feiras orgânicas até grandes festivais, e ainda está aberto — contou a editora-executiva.

Ela também citou inicitivas na área educacional e no campo da ética e há outras das 50 inicitivas já em andamento para ajudar o Rio a sair da crise.