O Brasil na agenda do clima

Logo-banner-coluna-folha-fsp

Publicado na Folha de S.Paulo

Por Ilona Szabó

O ano de 2021 é determinante para o Brasil se reposicionar na agenda global sobre o clima. Nos dias 22 e 23 de abril o país participa da Cúpula de Líderes nos EUA, que antecede a 26ª Conferência das Partes sobre o clima (COP26) em Glasgow no fim do ano. A pergunta central a ser respondida é se o atual governo será capaz de reescrever a história dos últimos dois anos, ou se a nova retórica de boas intenções é apenas para destravar recursos da cooperação internacional e manter tudo como está.

Em primeiro lugar, para avaliar o esforço do país é necessário olhar os fatos. Em março de 2021, o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), detectou o maior nível de desmatamento na Amazônia dos últimos seis anos para o mesmo período. Além disso, o recém-lançado Plano Amazônia 2021-2022, do Conselho Nacional da Amazônia Legal, propõe meta de desmatamento 16% mais alta do que o desmatamento registrado no ano anterior à posse de Bolsonaro.

Leia mais