Legado de violências, crimes e mortes

Logo-banner-coluna-folha-fsp

Publicado na Folha de S.Paulo

Por Ilona Szabó

O fim do terceiro ano do governo Jair Bolsonaro se aproxima e os resultados da política de descontrole armado do governo federal são cada vez mais preocupantes para a segurança e a democracia do país. O número de armas nas mãos de civis disparou, enquanto o controle estatal sobre esses arsenais é cada vez menor. O desejo do presidente de que “o povo se arme” se concretiza, aumentando os riscos de mobilização da violência também para fins políticos.

O descontrole de armas de fogo e munições ocorre por uma decisão deliberada do governo federal em enfraquecer a lei e as normativas, extrapolando sua competência, causando caos normativo e cometendo fraudes processuais. A omissão do Congresso Nacional e a demora do Supremo Tribunal Federal (STF) em julgar ações que questionam decretos do poder executivo aumentam os riscos para toda a população, a cada dia. Além disso, permitem a consolidação da destruição de políticas públicas e instituições por um governo que cultua a morte.

Leia o artigo de opinião

O Instituto Igarapé utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.

Skip to content