Instituto Igarapé vai integrar Conselho Nacional de Segurança Pública

O Instituto Igarapé está entre as três entidades da sociedade civil convidadas para compor o Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social, instaurado nesta segunda-feira (17) pelo governo federal.  O conselho vai propor diretrizes para prevenir e conter a violência e a criminalidade no País. Integrarão o órgão representantes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

“A participação da sociedade civil no Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social é fundamental para que se estabeleça uma visão e um planejamento de curto, médio e longo prazo para melhorar a segurança das cidadãs e cidadãos brasileiros”, diz Ilona Szabó, diretora-executiva do Instituto Igarapé. “Como membro do Conselho, o Instituto Igarapé reforçará a necessidade de priorização da redução dos crimes violentos no país, com iniciativas baseadas em evidências e experiências nacionais e internacionais bem sucedidas”, continua Szabó.

A gestão será realizada pelo Ministério da Segurança Pública (MSP). Sua criação estava prevista na Lei 13.675, sancionada em junho, que instituiu o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e criou a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS).

Caberá ao MSP orientar e acompanhar as atividades dos órgãos integrados ao Susp, além de apoiar programas para estruturar e modernizar os órgãos de segurança pública, promover a qualificação profissional, coordenar atividades de inteligência na área e desenvolver a doutrina de inteligência policial.

Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e o Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp-UFMG) são as outras duas organizações da sociedade civil que fazem parte do conselho até o momento.