Instituto Igarapé alerta para consequências mortais da mineração ilegal de ouro na Amazônia

Publicado no Estadão

RIO – Um estudo divulgado pelo Instituto Igarapé nesta quinta-feira, 8, mostra os impactos negativos da mineração ilegal de ouro na Amazônia nas populações indígenas e na floresta. A alta do preço do metal nos últimos 20 anos impulsionou a demanda e o garimpo irregular na região, trazendo “consequências mortais”. De acordo com o levantamento, há 321 minas ilegais nos nove estados que formam a Bacia Amazônica brasileira. A estimativa é que hoje essa indústria rende entre US$ 12 bilhões e US$ 28 bilhões ao ano.

Leia mais