Grilagem, paramilitares e coca causam desmate da Amazônia colombiana

Publicado na Folha de S.Paulo

Grilagem, mineração ilegal e extração de madeira sem autorização são alguns dos motores do processo de desmatamento na Amazônia. E não só no Brasil. A Colômbia enfrenta os mesmos problemas, mas tem também fatores próprios que alimentam a destruição do bioma, como a ação das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e outros grupos paramilitares e o desmate para cultivo de coca.

Um novo relatório do Instituto Igarapé, em parceria com o InSight Crime, o primeiro de uma série sobre o bioma, apresenta um perfil dos crimes ambientais na Amazônia colombiana e aponta como atores públicos e privados no país —e até brasileiros— participam do desmatamento da floresta.

Laura Waisbich, pesquisadora-sênior do programa de segurança climática do Instituto Igarapé, afirma que as Farc são um ator importante, mas não o único, no processo de desmatamento e nos crimes ambientais colombianos.

Leia a matéria

O Instituto Igarapé utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e nossos Termos de Uso e, ao continuar navegando, você concorda com essas condições.