Especialistas debatem relação entre segurança e democracia no Brasil e na América Latina

A taxa de homicídios na América Latina é três vezes maior do que a média global, mas as soluções adotadas desde a década de 1980 têm se mostrado caras e ineficientes. O impacto para a democracia das estratégias de segurança pública conhecidas como mano dura são tema do debate Diálogo sobre os desafios da segurança e da democracia no Brasil e na América Latina, que reúne especialistas da região nesta segunda-feira, 10 de junho, no Rio de Janeiro.

O assunto é parte do relatório Unfulfilled Promises: Latin America Today, um panorama sobre a situação social, política e econômica do subcontinente. O painel, que marca o lançamento da publicação no Brasil, reúne Michael Shifter, presidente da organização Diálogo Interamericano, Robert Muggah, diretor do instituto Igarapé, Maria Hermínia Tavares de Almeida, pesquisadora do Cebrap, e Monica Herz, senior fellow do Cebri. A mediação é de Andrés Schipani, correspondente do Financial Times no Brasil.

Diálogo sobre os desafios da segurança e da democracia no Brasil e na América Latina
Local: Cebri – R. Marquês de São Vicente, 336 – Gávea, Rio de Janeiro
Data: 10 de Junho, 2019
Horário: 10h – 12h30

Agenda

10h-10h30 – Café de boas-vindas
10h30 – 10h40 – Mensagem de Abertura – Julia Dias Leite, diretora-executiva, CEBRI
10h40 – 12h30 – Painel Diálogo sobre os desafios da segurança e da democracia no Brasil e na América Latina
Palestrantes: Michael Shifter, Robert Muggah, Maria Hermínia Tavares de Almeida e Monica Herz.
Moderador: Andrés Schipani
12h – Perguntas da plateia

Participantes

Michael Shifter é presidente do Diálogo Interamericano. Desde 1993, é professor adjunto da Escola de Relações Exteriores da Universidade de Georgetown, onde leciona política latino-americana. Ele também é membro do Council on Foreign Relations e da Associação de Estudos Latino-Americanos (Lasa, na sigla em inglês), e é editor colaborador da Current History. Ele integrou o Conselho de Administração do Escritório de Washington na América Latina (Wola, na sigla em inglês) e o Conselho Consultivo da Divisão das Américas da Human Rights Watch e da Fundação de Ciências Sociais da Escola de Graduação em Relações Internacionais da Universidade de Denver.

Robert Muggah é cofundador e diretor de pesquisa do Instituto Igarapé, um think and do tank sem fins lucrativos conhecido por desenvolver visualizações de dados e plataformas tecnológicas para melhorar a segurança pública, a justiça social e gerar ações sobre mudanças climáticas. Muggah também fundou e dirige o Grupo SecDev, uma consultoria sobre riscos digitais que trabalha na interface entre a economia digital e a urbanização. É também parte do corpo docente da Singularity University e do Graduate Institute de Genebra, consultor sênior da McKinsey and Company, pesquisador e consultor do Fórum Econômico Mundial (FEM), presidente do Parlamento Global de Prefeitos e consultor para as Nações Unidas, Banco Interamericano de Desenvolvimento e Banco Mundial. É autor de dezenas de artigos de opinião e acadêmicos e sete livros, entre os quais Impact: Maps to Navigate our Past and Future (em co autoria com Ian Goldin, a ser lançado pela Penguin em 2020). Foi palestrante do TED global e nos encontros de cúpula do FEM, em Davos. Tem doutorado pela Universidade de Oxford e pela Universidade de Sussex.

Maria Hermínia Tavares de Almeida é pesquisadora sênior do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e professora de Relações Internacionais e Ciência Política da Universidade de São Paulo. Foi pesquisadora visitante do Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Londres (1992); professora visitante do Programa Tinker na Universidade de Stanford (1996); professora visitante do Doutorado em América Latina do Instituto Ortega y Gasset (1999, 2000 e 2002); professora visitante do Departamento de Ciência Política da Universidade de Montreal (2006); e pesquisadora visitante do Brazil Institute do King’s College, Universidade de Londres. Foi premiada com a Ordem Nacional do Mérito Científico em 2006.

Monica Herz é senior fellow do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri) e professora associada do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da PUC-Rio. Possui bacharelado em História pela PUC-Rio (1985), mestrado em Sociologia pela Sociedade Brasileira de Instrução – SBI/Iuperj (1989) e PhD em Relações Internacionais pela London School of Economics and Political Science (1994). Ela tem experiência no campo das Relações Internacionais, com ênfase em Segurança Internacional, e atua nos seguintes tópicos: política externa brasileira, organizações internacionais, segurança internacional, relações internacionais e América Latina.

Moderador

Andrés Schipani é correspondente do Financial Times no Brasil. Já foi correspondente do mesmo jornal para a Região Andina, cobrindo Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela, além de parte do Caribe. Formou-se em Londres, Cardiff e Oxford, e foi membro associado da Universidade de Colúmbia nas áreas de business, economia e jornalismo financeiro.