“Ele se excedeu na legítima defesa”, diz delegado sobre segurança do Extra

Por Joana Oliveira

Para o El País

Um segurança do hipermercado Extra da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, matou um jovem de 19 anos depois de deitar em cima de seu corpo e aplicar uma gravata para imobilizá-lo nesta quinta-feira. Pedro Henrique Gonzaga sofria uma parada respiratória, enquanto testemunhas tentavam convencer Davi Ricardo Moreira, o funcionário do estabelecimento, de soltá-lo:  “Está sufocando ele!”, “Ele está roxo!”, gritavam, conforme mostra um vídeo que circula nas redes sociais, em que é possível vê-lo por ao menos dois minutos na posição, enquanto o rapaz parece desacordado. Em um momento, um cliente do mercado aproxima-se de Moreira, tentando afastá-lo do jovem, ao que o segurança responde: “Não segura, senhor, quem sabe sou eu”. O funcionário, que acusava o jovem de ter tentado roubar sua arma, “se excedeu na legítima defesa”, na avaliação do delegado Cassiano Conte, responsável pelo caso. Ele prestou depoimento, pagou 10.000 de fiança e foi liberado. Pedro será enterrado neste sábado.