Continuam os ataques no Ceará após chegada da Força Nacional

Mais de 100 pessoas foram detidas no estado desde o início da onda de violência. Ações criminosas ultrapassam 90 casos. Houve número relativamente menor de incidentes na primeira noite após a chegada das tropas federais.

Publicado na DW

Desde o início de uma onda de ataques violentos no Ceará, ao menos 110 pessoas, sendo 76 adultos e 34 adolescentes, foram detidas ou apreendidas no estado. Segundo comunicado divulgado neste domingo (06/01) pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), as detenções ocorreram entre a quarta-feira e a noite de sábado.

As ações criminosas continuam e somam mais de 90 casos, segundo a Polícia Civil. Houve, contudo, uma diminuição da violência na noite de sábado para domingo – quarta noite desde o início das ações criminosas no estado e a primeira desde a chegada da Força Nacional.

Até o momento, foram oito os ataques registrados desde que os agentes federais passaram a atuar no Ceará: dois em Fortaleza, contra um posto de combustível e uma torre policial, e outros seis no interior do estado, contra prédios públicos, veículos, um banco e uma base de telefonia.

Na madrugada deste domingo, dois suspeitos morreram durante uma troca de tiros com a polícia após tentarem incendiar um posto de atendimento do Detran na capital cearense. Um policial militar ficou ferido. Na quinta-feira, um suspeito de tentar destruir um radar de trânsito foi alvo de tiros da polícia e também morreu. 

Leia matéria completa