Site map

Diálogos de Segurança Cidadã

O que funciona e quais são os desafios na promoção da segurança cidadã na América Latina e África

O que é o projeto Diálogos de Segurança Cidadã?

Os Diálogos de Segurança Cidadã buscam identificar ações exitosas e os desafios das iniciativas de segurança cidadã em diferentes países da América Latina e da África. Entre 2013 e 2015, quatro encontros foram realizados no Rio de Janeiro, Bogotá, Cidade do México e Cidade do Cabo, reunindo centenas de lideranças do governo, do setor privado, ativistas e especialistas nas áreas da segurança, justiça e prevenção da violência. Além disso, análises de iniciativas de segurança cidadã do Brasil, México, Colômbia e África do Sul feitas por especialistas de cada um destes países compõem 4 coleções especiais publicadas pelo Stability: International Journal of Security and Development.

Quais são os objetivos dos Diálogos?

Os Diálogos de Segurança Cidadã possuem quatro objetivos. Primeiramente, identificam práticas promissoras na promoção da segurança, sobretudo em áreas mais vulneráveis.  Em segundo lugar, promovem uma crescente rede internacional de especialistas de segurança cidadã de diferentes partes do mundo. Em terceiro lugar, os Diálogos incubam inovações incluindo novas tecnologias, relacionadas à promoção da segurança e justiça. Finalmente, eles impulsionam debates em diferentes veículos de mídia, bem como o engajamento político associado a diferentes e desafiadoras questões de prevenção da violência e promoção da segurança.

Quem são os parceiros?

Os Diálogos de Segurança Cidadã são coordenados pelo Instituto Igarapé (Brasil) e financiados pelo International Development Research Centre (IDRC). Os principais parceiros da iniciativa incluem a Fundación Ideas para la Paz (Colômbia), o Instituto para la Seguridad y la Democracia (México) e o African Policing and Civilian Oversight Forum (África do Sul). A iniciativa também conta com a colaboração do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Saferworld, Open Society Foundations e GIZ, e é desenvolvida em cooperação com governos e organizações da sociedade civil da América Latina e África.

Como os Diálogos fazem uso das novas tecnologias?

O Instituto Igarapé, com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento, elaborou a Base de dados de segurança cidadã. A plataforma de visualização de dados é um aplicativo online interativo com que identifica mais de 1.300 intervenções realizadas em mais de 20 países latino-americanos. Ela inclui informações de diferentes variáveis, incluindo o foco das intervenções, período de implementação, orçamento, bem como sua eficácia a partir de evidências científicas de monitoramento e avaliação.

Outras publicações

Dialogue on Safety and Security: Insights from Cape Town. THE CONSORTIUM ON CRIME AND VIOLENCE PREVENTION, fevereiro de 2015

Una aproximación a los costos de la violencia y de la inseguridad en México, INSYDE, março de 2014

Relatório #No+armas #No+guns, INSYDE e Movimento pela Paz com Justiça e Dignidade, janeiro de 2014.

Mapping Citizen Security: Interventions in Latin America. Instituto Igarapé e NOREF, outubro de 2013.

 

Eventos realizados

Quarto Encontro dos Diálogos de Segurança Cidadã, Bogotá (Colômbia), 16-17 de abril de 2015, em parceria com a FIP.

Terceiro Encontro dos Diálogos de Segurança Cidadã, Cidade do Cabo (África do Sul), 25-27 de fevereiro de 2015 em parceria com o APCOF.

Segundo Encontro dos Diálogos de Segurança Cidadã, Cidade do México, Cidade do México (México), 7-8 de novembro de 2014, em parceira com o INSYDE.

7.o Fórum Urbano Mundial (FUM7)Painel “Lições que aprendemos: da prevenção ao delito e redução da violência”, 11 de outubro de 2014, Medellín (Colômbia), em parceria com o BID e a GIZ.

Primeiro Encontro dos Diálogos de Segurança Cidadã, Rio de Janeiro (Brasil), 20-21 de março de 2014.