Inação do Exército deixa país sem aprimorar rastreamento de armas

Publicado na Folha de S.Paulo

Com Melina Risso

A revogação de três portarias há dez meses pelo Exército impede o Brasil de aprimorar as regras de rastreamento e identificação de armas de fogo e munições. Sem as normas, o país tem lacunas no controle de artigos bélicos.

As Portarias 46, 60 e 61 foram editadas pelo Comando Logístico da corporação em março de 2020. No entanto, os textos foram revogados em abril pela Portaria 62, do mesmo órgão.

Melina Risso, diretora de programas do Instituto Igarapé, afirmou que os decretos e portarias publicados causam ainda insegurança jurídica. “Hoje existe uma fragilidade imensa no processo de monitoramento, rastreamento, isso coloca em risco a sociedade”, afirmou.

Leia mais