Entidades criticam novos decretos de Bolsonaro que flexibilizam regras para armas de fogo no país

Publicado no G1

Com Michele dos Ramos

Entidades criticaram, neste sábado, os novos decretos que flexibilizam o uso e a compra de armas de fogo no país, assinados pelo presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (12) e publicados em edição extra do “Diário Oficial da União”.

Todos os quatro decretos desta sexta modificam decretos anteriores do próprio Bolsonaro. Eles aumentam o número de armas que um cidadão comum pode adquirir, ampliam o número de categorias profissionais que têm direito a comprar armas e munições controladas pelo Exército, flexibilizam a comprovação de aptidão psicológica para colecionadores, atiradores e caçadores (CACs) e mudam as regras de munição e armas para os CACs.

Para Michele dos Ramos, assessora especial do Instituto Igarapé e mestre em Segurança Internacional pela universidade francesa Sciences Po, “há muitas perguntas a serem respondidas pelas autoridades federais sobre as motivações políticas do descontrole de armas no país”, uma vez que não há justificativa ou “conhecimento técnico” que embase as mudanças.

Leia mais